4 profissões na área digital que vieram com tudo em 2017

O mundo está cada vez mais digital. E isso se reflete no mercado de trabalho! A era das tecnologias e da informação está consolidada e as empresas não veem mais essas áreas como excesso, mas sim como parte central de seus times. Com isso, a procura por profissionais digitais, desde programação até marketing, não para de crescer.

Conheça 4 profissões digitais que estão em ascensão:

É uma profissão de natureza analítica e requer grande capacidade para resolução de desafios e interesse em desbravar novos caminhos. Essa função entrou no radar das organizações graças ao grande fluxo de informações que encontramos na rede (Big Data). A função do Cientista de Dados é reunir tais informações e dar sentido a elas, seja para reconhecer tendências de mercado ou entender o comportamento de usuários online.

O nome já é bem autoexplicativo, né!? Este profissional está cada vez mais especializado, em plataformas e linguagens de programação, e por consequência mais procurado pelas empresas. Não apenas em 2017, esta profissão estará em evidencia pelos próximos anos.

Foi-se o tempo que o profissional de Design era só um. Para gerar um produto digital de qualidade, são diversos fatores e apenas uma especialização não é mais o suficiente para englobar todo o trabalho.  Aí entra a dupla de profissionais em UI (interface do usuário) e UX (experiência do usuário).

O Designer UI vai desenvolver os elementos que exigem interação entre o usuário e a plataforma desenvolvida, como por exemplo botões de volume e barras de navegação, de modo que ela seja mais intuitiva e confortável. O UI leva em consideração, além de cores e formas, a funcionalidade do produto.

O Designer UX vai pensar nas sensações que o usuário vai ter enquanto usa um site ou uma plataforma. Que tipo de sentimento ele quer despertar na pessoa que acessa aquela página e qual ação isso vai desencadear.


Não decidiu sobre o que quer fazer? Confira também três testes vocacionais aqui e descubra qual o seu potencial.

 

Tags: trabalho
  • Erick Kosmalski Scudero

    Parabéns pelo post, obrigado por usar a Becode como referência! 🙂