Aluno do Programa Recode idealiza app para compartilhar bombinha de asma

Imagine se, durante uma crise de asma inesperada, o paciente pudesse acionar um “botão de  pânico” no celular para conseguir uma bombinha emprestada no menor tempo possível? A medida, que pode salvar vidas, é a ideia que motiva o desenvolvimento de um aplicativo por Herbert Jung Sin, ex-aluno do Programa Recode em São Paulo.

Hebert, que convive com a asma desde criança, percebeu que a tendência da economia do  compartilhamento – a exemplo do serviço do app Tem açúcar? – poderia servir para o nebulímetro, popularmente conhecido como “bombinha”.

A proposta de app com este fim – batizado de Afilaxy – surgiu durante a realização do curso de Modelagem de aplicativos e Noções de gestão de projetos e foi premiada no evento de Reconhecimento do Programa em 2016. Herbert estava sem estudar e sem trabalhar e também foi contemplado pela parceria da ONG Recode com a Estácio para uma bolsa de estudos de 50% no curso de Análise de Desenvolvimento de Sistemas.

Desde então, o jovem já conquistou uma ampla rede de parceiros no campo do empreendedorismo social para levar o projeto adiante. Entre várias iniciativas, ele participa do Núcleo de Cultura Empreendedora da PUC-SP.

“Eu não enxergava propósito ou objetivo em executar tarefas no mercado de trabalho formal. Mas passei a me envolver com coletivos e causas que me despertaram, aos poucos, para essa nova forma de empreender, para construir algo que precisa existir”, conta ele.

Atualmente, o grupo responsável pelo Afilaxy busca apoio para a fase de validação do projeto. Na prática, pessoas interessadas na ideia – que tenham asma ou não – podem se cadastrar no site para participar da comunidade de usuários do futuro aplicativo. Em primeira mão, elas poderão conhecer a ferramenta e contribuir para seu aperfeiçoamento.

Clique aqui para apoiar o Afilaxy.