Jovem cria app para mapear lugares com acessibilidade reduzida

O aplicativo Repare mostra se um lugar está preparado para receber pessoas com mobilidade reduzida.

Depois de começar a estudar em áreas de conteúdos tão diferentes, como nos cursos de Ensino Superior em Letras e Tecnologia da Informação, foi na área de criação de aplicativos (apps) que Ricardo Pereira, 23 anos, encontrou sua vocação. O pontapé inicial foi dado em 2014, quando ele participou do curso Mobilidade, da nossa ONG, e estava a fim de descobrir novos segmentos do mundo tecnológico. Desde então, Ricardo conseguiu oportunidade de emprego e de empreender nesta área.

No curso, ele criou o protótipo do Repare, um aplicativo (app) que mapeia de forma interativa regiões da cidade onde há obstáculos para pedestres, como buracos, desníveis e má conservação. A ideia está em fase de desenvolvimento pela Microsoft, em parceria com o Instituto Eldorado — centro de pesquisa brasileiro focado no desenvolvimento e inovação nas áreas de tecnologia –, durante o Workshop de Desenvolvimento de Aplicativos, realizado na nossa Organização, como contamos em outro post. Quando estiverem prontos, os apps serão publicados em lojas virtuais, como Apple Store, Google Play e Windows Phone.

Foi durante as aulas que ele conheceu Pedro Paulo, 46 anos, auxiliar administrativo e portador de paralisia cerebral, doença que provoca dificuldade em caminhar e se expressar. Ao perceber as dificuldades que o colega tinha de se locomover, Ricardo notou que, por meio da tecnologia, poderia ajudá-lo e também colaborar para melhorar a vida de outras pessoas que passam pelas mesmas dificuldades. Os dois, então, se juntaram a outra colega, Raíssa Rodrigues, e criaram o protótipo do Repare.
Aspas do Hélcio Ricardo

“Convivendo com Pedro Paulo, percebi que, mesmo sendo independente, ele tinha de enfrentar obstáculos durante o percurso diariamente. Com o tempo, notei que o Repare poderia ser útil não só a portadores de deficiência, mas também a outras pessoas que teriam alguma dificuldade para locomoção, como pais com carrinho de bebê”, contou Ricardo.

Naquele ano, o Repare foi um dos vencedores do evento de reconhecimento do então Programa CDI Mobilidade. Agora, o app conta com apoio da empresa para ser desenvolvido. Depois de pronto, a expectativa é que esteja disponível nas lojas virtuais de iOs, Android e Windows. A recepção do Repare tem sido bastante positiva e, em outubro, Ricardo foi convidado a apresentar o app durante o evento Apps4Change, realizado pela Caravan Studios – uma ONG dos EUA focada em criar soluções, pela tecnologia, para gerar o bem comum.

Atualmente, Ricardo trabalha na ONG Recode, onde começou como tutor, orientando e compartilhando sua experiência com outros jovens. Ele, agora, atua na área de Plataformas Digitais da ONG, onde dá suporte e ajuda a melhorar as funções da plataforma de programas educacionais. Ricardo também está desenvolvendo um programa de empreendedorismo, para alunos de cursos da Organização, com temas, como: administração de uma aceleradora, inovação e fases de um projeto. Assim, ele aprende com outros jovens e estimula que eles sigam seus passos nos leques de oportunidades com o empreendedorismo.