Tecnologias exponenciais e o futuro mercado de trabalho

As tecnologias exponenciais, como a Inteligência Artificial, a Realidade Virtual e a Realidade Aumentada, estão mudando o mundo, a ponto de podermos dizer que estamos vivendo a chamada Quarta Revolução Industrial. Essa revolução deve ter um impacto 3 mil vezes maior do que a da Primeira Revolução Industrial, estimam os especialistas. Nos próximos anos essas tecnologias vão mudar drasticamente a forma como vivemos, estudamos, trabalhamos e nos relacionamos.
 
A ficção científica costuma mostrar o lado sombrio dessa revolução, como a redução de postos de trabalho e a extinção de profissões. De fato, muitos empregos estão com os dias contados pela automatização de algumas funções. Estudos da Universidade de Oxford, no Reino Unido, apontam que cerca de 35% dos trabalhadores podem ser substituídos por robôs em 20 anos. Já sobre o Brasil, um estudo da consultoria McKinsey revelou que 50% dos atuais postos de emprego no nosso país podem ser automatizados.
 
Mas esse cenário não é para nos assustar, ao contrário deve nos desafiar. Da mesma forma que alguns postos de trabalhos serão extintos, podemos dizer que os empregos que vão ter muitas das crianças e adolescentes de hoje ainda nem foram inventados, e isso é incrível e desafiador. Eu tenho uma visão bastante otimista sobre a Quarta Revolução Industrial: se essas tecnologias forem usadas associadas à ética e valores, estaremos diante da oportunidade de dar um passo civilizatório. Para isso, precisamos ensinar a nova geração a usar as tecnologias exponenciais para gerar impacto social positivo e exponencial na sociedade. E é isso que estamos fazendo na ONG Recode com nossos cursos voltados para o empoderamento digital de jovens.
 

Quer saber mais sobre esse e outros temas relacionados às tecnologias exponenciais, continue acompanhando o nosso blog e participe também do #BoraTransformar – Conversas Recode para reprogramar o mundo, que propõe uma imersão no potencial das tecnologias para a criação de ideias de impacto positivo. A entrada é gratuita, mas as inscrições são limitadas. Contamos com a sua presença!