Alunos aprendem programação com oficinas de robótica

Como legado de projeto da ONG Recode, professor lançou desafio de construir robô em disciplina optativa 

A iniciativa do professor Thiago Fortunato, da Escola Municipal Celestino da Silva, no Rio, de levar tecnologia para a sala de aula, já foi destaque em nosso blog. Mas o empenho do educador em inovar no ensino de Matemática já rendeu uma nova história que merece ser contada por aqui.

A partir das formações do projeto Recode em Escolas, uma das ações da nossa ONG ao longo de 2016, Thiago teve contato com a ferramenta scratch, uma plataforma gratuita para ensino de conceitos básicos de programação a crianças e adolescentes.

Com a proposta de desenvolver o raciocínio lógico nos alunos, o professor teve a ideia de utilizar o scratch para oferecer a disciplina eletiva TecAula, com oficinas de robótica. Sua meta é audaciosa: construir com a turma do 7º ano um robô que se movimenta e mede a temperatura ambiente e a umidade do ar.

Para isso, os alunos utilizam a programação para enviar comandos a um micro controlador. O trabalho é feito em grupo: cada um se torna responsável por uma parte da tarefa. O interesse da turma surpreendeu Thiago. “Eles estão muito curiosos e assíduos na aula, a robótica chama a atenção. Assim eles descobrem como a programação tem um uso prático e pode ser interessante”, diz.

O professor também espera que as aulas sejam o primeiro passo dos jovens no rico universo da programação. “Meu objetivo é que eles aprendam por conta própria, pesquisando na Internet, porque foi assim que eu aprendi”, conclui.

Leia mais sobre o projeto Recode em escolas aqui.