Biblioteca parceira da ONG Recode ganha prêmio internacional

Projeto premiado une empoderamento feminino, tecnologia e protagonismo juvenil

Parceira da ONG Recode, a Biblioteca Municipal Argentina Lopes Tristão, em Domingos Martins, no Espírito Santo, ganhou um prêmio internacional para bibliotecas públicas e comunitárias que fortalecem os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS/Agenda 2030). Apoiado pela Fundação Bill & Melinda Gates, o Prêmio de Inovação EIFL também premiou uma biblioteca na Lituânia e outra nas Filipinas.

A conquista é fruto de um trabalho que uniu empoderamento feminino, o uso de tecnologia como recurso terapêutico e o protagonismo juvenil. “Desenvolvemos um curso de informática para mulheres que lutavam contra a depressão. As aulas serviram como um recurso terapêutico e contribuíram muito para melhorar a autoestima das participantes. O legal é que a oficina teve jovens aprendizes como professores e houve grande interação entre eles e as alunas”, contou a bibliotecária Ana Maria Silva, coordenadora do projeto “Noções Básicas de Computação: Informática como Recursos Terapêutico”.

A iniciativa começou a ser pensada em 2016, quando a biblioteca recebeu dez computadores do projeto Recode Bibliotecas, realização da ONG Recode. O objetivo era oferecer atividades para impactar de forma positiva o município de Domingos Martins. Atualmente, a biblioteca também integra o programa Conecta Biblioteca.

Contexto

O Estado do Espírito Santo apresenta uma das maiores taxas feminicídio no país – são 2 mortes a cada 100 mil mulheres, quatro vezes mais do que a média nacional (IPEA). O problema – que passa também pela violência doméstica – afeta a autoestima das mulheres do município de Domingos Martins, sendo uma das causas de depressão entre esse público.

Esse cenário inspirou uma mudança no projeto inicial, voltado ao primeiro contato com o universo da tecnologia. Com a participação da Secretaria Municipal de Saúde, o foco passou a ser o atendimento de pacientes mulheres que lutavam contra a depressão.

Para incentivar o protagonismo dos jovens martinenses, foi firmada uma parceria com o Centro de Integração Empresa Escola (CIEE) do município. Assim, os jovens do projeto Menor Aprendiz foram convidados a atuar como professores de informática.

As oficinas aconteceram de setembro a novembro de 2016, com 12 mulheres – a maioria na faixa etária dos 50 anos. Orientadas pelos jovens aprendizes, elas deram os primeiros passos no mundo digital e aprenderam a usar o pacote Office (Word, Excel e PowerPoint) e a acessar novas possibilidades da internet. “Tivemos alunas que estavam paradas, sem um horizonte, e após as aulas estão mais ativas, querendo fazer outros cursos e retomar os estudos. É uma vitória”, comemorou Ana Maria Silva.

“É o reconhecimento do trabalho feito pela equipe da biblioteca. Agora, somos motivo de orgulho para a população. Nosso espaço não é mais visto como um mero depósito de livros, e isso é muito importante pra gente”, avaliou.

A Biblioteca Argentina Lopes Tristão foi premiada na categoria “Igualdade de Gênero e Empoderamento de Mulheres e Meninas”. O anúncio foi feito no dia 12 de março de 2018.

Próxima fase

A segunda turma da oficina “Noções Básicas de Computação: Informática como Recursos Terapêutico” pretende impactar 60 mulheres, com 20 vagas reservadas às martinenses que lutam contra a depressão. As aulas, que continuam sendo ministradas pelos jovens aprendizes, começaram no fim de março e vão até novembro.

Os US$1,500 da premiação servirão para incrementar a oficina de informática, que passará a contar com o auxílio de um psiquiatra.

Parceria com a ONG Recode

Para Ana Maria Silva, o apoio material e a formação adquirida com o projeto Recode Biblioteca foram fundamentais para incentivar a criação do projeto vencedor. “Foi a ONG Recode que nos apresentou à Agenda 2030 da ONU e tem nos incentivado sistematicamente a alinhar as nossas práticas a esta Agenda”, reconheceu.

Em 2016, a biblioteca Argentina Lopes Tristão já havia sido reconhecida com o 2º lugar no prêmio Recode de Reconhecimento de Boas Práticas em Biblioteca Públicas. Como bibliotecária responsável, Ana Maria participou de uma viagem para o Chile, visitando iniciativas de sucesso no setor.

 

Fechar Menu