O que os jovens querem da educação brasileira?

6506805

Um dos principais desafios da educação sempre foi alinhar os interesses e expectativas dos alunos com o conteúdo passado em sala de aula. Hoje em dia o debate continua mais acalorado que nunca, com jovens cada vez mais conectados e informados. Uma pesquisa, apresentada no Social Good Brasil, se propôs a decifrar a mente dos estudantes e entender o que eles realmente esperam da educação e de suas escolas.

O debate demonstrou que parte dos jovens não vê sentido no que aprendem hoje e acreditam não estarem preparados para o mercado quando concluem os estudos.

De forma simples, o que o jovem quer na escola é:

  • Personalização

Muitos jovens acham que o conteúdo do quadro é inútil e gostariam de algo que se aplicasse de alguma forma às suas vidas. Eles também querem ver a escola para além das paredes da sala de aula. Oito entre dez estudantes brasileiros gostariam de aprender em lugares que não fossem colégios ou universidades.

  • Visão do mercado de trabalho

Os jovens estão saindo do ensino médio sem acreditar que a instituição lhe preparou para o “mundo real”, também como consequência do item acima. Eles querem ser integrados das competências do século XXI, características hoje valorizadas pelo mercado de trabalho e que nossos projetos visam desenvolver nos cursos: protagonismo, cocriação, comunicação afetiva e efetiva e a resolução de problemas sociais.

  • Empreendedorismo e Movimento Maker

Geração das startups e do “faça acontecer”, metade dos jovens brasileiros gostariam de abrir sua própria empresa, fazer a diferença e trabalhar por um mundo melhor. Eles sentem falta de orientação e incentivo a isso no ambiente escolar.

  • Tecnologia em sala de aula

O mundo está cada vez mais online e digital. Mas, a cereja do bolo para os estudantes enfrenta muita resistência no meio educacional desde sua popularização. A mudança realmente não é fácil, mas não tem jeito: a escola não pode ser analógica num mundo totalmente digital!

E é nesse sentido que atuam os projetos do Recode em escolas, desmistificando o uso de tecnologias, especialmente celulares, na sala de aula. Queremos mostrar que podem, sim, ser um recurso pedagógico poderoso para inovar a forma de aprender e ensinar.

Já existem aplicativos, sites e inúmeras ferramentas para serem usadas em sala de aula. Aliás, demos algumas dicas para integrar o ciberespaço ao meio off-line na sala de aula nessa postagem.

Fechar Menu