window.dataLayer = window.dataLayer || []; function gtag(){dataLayer.push(arguments);} gtag('js', new Date()); gtag('config', 'UA-20732535-1');

TecEscola anuncia ideias inovadoras de aplicativos para solucionar desafios da educação

2016-09-15T16:32:19-03:004 de dezembro de 2015|Sem categoria|0 Comments

Profissionais da rede estadual de ensino do Rio de Janeiro participaram de jornada que escolheu quatro protótipos de apps inéditos e focados na realidade escolar do país

experiencia TecLab

Crédito foto: Carla Vieira

 

Iniciativa da B2W DIGITAL, líder em comércio eletrônico na América Latina, e da Rede Recode, organização social que há 20 anos usa a tecnologia para transformação social, o projeto TecEscola promoveu no último sábado (28) o TecEscola Experiência TecLab, evento de cocriação que reuniu 120 professores, gestores escolares e líderes educacionais da rede estadual de ensino do Rio de Janeiro. Ao longo de quase 12 horas de trabalho, os profissionais foram incentivados a desenvolver protótipos de aplicativos que poderão trazer melhorias para os desafios cotidianos da educação.

Com a ajuda de mentores e especialistas em design e tecnologia, os educadores se reuniram em grupos para propor soluções para as principais dificuldades vividas no dia a dia da escola. Após duas rodadas de apresentações, o comitê avaliador selecionou as quatro melhores ideias, que serão desenvolvidas com nosso patrocínio. Os protótipos, todos inéditos, partem da experiência, protagonismo e conhecimento dos próprios professores.

São eles:

  1. App #Praqueserve
    Permite relacionar disciplinas escolares com o dia a dia dos alunos e com as profissões e carreiras que eles podem seguir a partir daquele conteúdo.
  2. App Sonhe
    O aluno é convidado a dizer qual é seu sonho, dizendo quais atividades que gostaria de realizar. O app relaciona informações que são importantes para o aprendizado dessas atividades, ampliando o horizonte dos alunos.
  3. App Universos e Tribos
    Jogo de RPG online para facilitar o aprendizado, em que o aluno cria um avatar para interagir com outros professores e colegas. Permite interação e proposta de desafios pelos próprios alunos.
  4. Profissapp
    App propõe um “timeline” de troca de informações entre alunos e também alimentado por instituições de ensino e empresas. Traz mapa das faculdades, game vocacional, perguntas e respostas com profissionais da área e também dicas para estimular o empreendedorismo.

 

Participaram do comitê avaliador nomes de referência nacional no campo da educação, empreendedorismo e inovação, como José Pacheco (Projeto Âncora/ Escola da Ponte), Fábio Campos (CESAR), Lucas Ranna (Fábrica de Aplicativos) e Fábio Campos (Nave). “Todos os projetos mostraram grande preocupação com a identificação de alguns problemas que as novas tecnologias, neste caso o App, podem ajudar a resolver. Alguns projetos mostraram que é necessário que as novas tecnologias contribuam também para uma mudança no modelo de escola”, avaliou José Pacheco.

O anúncio da premiação foi feito por Rodrigo Baggio, fundador e presidente da Rede Recode. “Ao desenvolverem essas soluções inovadoras, os professores assumem o protagonismo para transformar a escola 21 e o futuro dos jovens, inspirando a mudança que queremos ver no mundo”, afirmou.

Uma das professoras premiadas, a professora Rita de Cássia Dias, do Colégio Estadual Mendes Sá, também comentou a importância do trabalho em grupo. “Essa experiência foi muito gratificante, nós aprendemos muito. Principalmente como trabalhar em equipe, ouvir o outro. Foram praticamente 12h trabalhando junto. Percebemos que a gente pode transformar várias coisas e pode criar alguma coisa que facilite a nossa vida no dia a dia escolar”, declarou.

 

Apoiado pela Secretaria de Estado de Educação (SEEDUC), o TecEscola é um projeto inovador de tecnologia, lançado em agosto de 2015, que promove a capacitação e o empoderamento digital em 50 escolas públicas estaduais do Rio de Janeiro e beneficia cerca de 15 mil alunos.

As unidades escolares selecionadas estão localizadas prioritariamente no eixo Centro-Zona Norte da cidade do Rio de Janeiro, a maioria em área de vulnerabilidade social, sendo 30 em áreas de UPP. O projeto também abrange a Região Metropolitana, incluindo regiões como Bangu, Realengo e Duque de Caxias.

Go to Top