window.dataLayer = window.dataLayer || []; function gtag(){dataLayer.push(arguments);} gtag('js', new Date()); gtag('config', 'UA-20732535-1');

Depois de vencer Digigirlz, carioca se firma em edtech

2022-01-06T18:16:29-03:003 de agosto de 2021|NOSSAS HISTÓRIAS|0 Comments
[:pt]

A carreira de Carolina Evangelista, de 28 anos, tinha tudo para ser um sucesso nas salas de aula. Nascida em uma família de professores, a carioca do bairro de Rocha Miranda, na Zona Norte, até começou a trabalhar como educadora, mas logo se encantou pela comunicação e pela tecnologia. Após realizar duas formações da Recode e vencer o Digigirlz, projeto em parceria com a Microsoft, ela agora festeja o bom momento ao trabalhar em uma edtech.

Tudo começou em 2012, quando a professora formada decidiu iniciar a faculdade de Publicidade e Propaganda. Mesmo gostando da área, percebeu que havia um potencial no meio digital e procurou cursos de programação. Foi quando um amigo indicou, oito anos mais tarde, o Recode Pro, programa que forma desenvolvedores full stack. A vaga não veio naquela oportunidade, mas fez com que ela conhecesse outras formações e projetos da Recode.

“Através da plataforma de aprendizagem, fiz ‘Inteligência Artificial’ e ‘Tecnologias para o Futuro’. Elas me ajudaram a ficar atualizada sobre as novas tecnologias, além de abrir minha mente, pois ao mesmo tempo em que ela pode ser benéfica, também pode fazer mal. Por isso, a importância de usá-las com responsabilidade”, destaca Carolina, ressaltando que a metodologia Recode, em conjunto com parceiros nas formações, como a Microsoft, procura trabalhar o uso ético e consciente da tecnologia para empoderar os participantes e transformar vidas.

E não parou por aí. Junto com outras duas participantes, Debora França e Camilly Priscila, Carolina mostrou que estava mesmo afiada no uso das tecnologias e venceu a edição 2020 do Digigirlz. O trio desenvolveu um plano para um aplicativo batizado de IABirth, que auxiliaria grávidas em todo o processo da gestação. A ideia teve como referência uma experiência profissional da campeã, que já havia atuado por quase cinco anos em uma maternidade: “Foi uma experiência incrível. Pude utilizar o conhecimento que adquiri durante meu trabalho junto com os conhecimentos tecnológicos. Fiquei muito feliz por ter o esforço da nossa equipe reconhecido. Será um marco eterno em minha vida”, comemora.

Carolina acreditou em si e na força da tecnologia para crescer na profissão

Atualmente, Carolina Evangelista trabalha como designer em uma edtech, termo utilizado para a área de tecnologia educacional, que incorpora fundamentos do TI e da comunicação na educação, a fim de apoiar os processos de ensino e aprendizagem. Agora, fica o desejo de que outras mulheres possam, assim como ela, conquistar um lugar na área em que sonham desenvolver uma carreira.

“Não desista! Mesmo que pareça difícil, acredite em si mesmo, no seu potencial e seja uma boa pessoa com quem encontrar no caminho. Quando você olhar para trás, irá perceber que valeu a pena todo esforço. Lembre-se, o lugar da mulher é onde ela quiser, inclusive na tecnologia. Estamos fazendo a diferença e juntas seremos mais fortes”, finaliza.

[:]
Go to Top